Notícias

Política

Política

21 de Jan // Gildásio Cavalcante | Política

Ainda sem a garantia de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai poder concorrer à eleição presidencial, o PT fechou uma nova caravana em defesa da candidatura.

 

Desta vez, o petista vai percorrer a região Sul. Segundo informações do blog Painel, da Folha de S. Paulo, a empreitada está prevista para começar em março e será carregada de simbolismos.

 

Isso porque, de acordo com a publicação, Lula vai partir da cidade de São Borja, no Rio Grande do Sul, onde está o túmulo de Getúlio Vargas, o "pai dos pobres".

 

Posteriormente, ele vai fazer atos em municípios que têm foco na agricultura familiar e depois encerra em Curitiba, centro da Operação Lava Jato, na Boca Maldita.

Política

20 de Jan // política livre | Política

Belíssimo e concorrido destino turístico do estado, Morro de São Paulo, na Ilha de Tinharé, em Cairú, faz parte da história do país. Descoberto em 1531, foi palco da Segunda Guerra Mundial, onde nazistas naufragaram navios. Neste sábado (20), o governador Rui Costa participou da solenidade de entrega da restauração da Fortaleza de Morro de São Paulo, construída em 1630 para proteger o povoado das invasões na barra falsa da Baía de Todos os Santos. Importante atrativo local, o monumento é procurado, inclusive, por quem quer apreciar o por do sol. Tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1938, a obra teve investimento total de R$ 14,4 milhões.

 

“Esse patrimônio soma-se a toda uma história e está vinculado, assim como outros equipamentos na Bahia, à independência do país. É importante que a gente destaque esses equipamentos, que, ao longo da existência e da consolidação do Brasil como nação, serviram como nossa defesa. E foi isso que fizemos aqui na Fortaleza de Morro de São Paulo. E ainda vamos elaborar um plano de uso e gestão, para que ele seja auto-sustentável, como acontece em outros lugares do mundo”, revelou Rui. A restauração começou com a recuperação estrutural da muralha. Na etapa seguinte, abrangeu o Portaló, o Corpo da Guarda, o Forte da Ponta e o caminho ao longo da muralha.

 

O conjunto de baterias e fortes possui 2.335 m2. O local abriga agora uma exposição permanente, anfiteatro e área para eventos. Na ocasião, o governador recebeu também o título de Cidadão de Cairu. “Os vereadores da cidade decidiram, por unanimidade, conceder esse título ao governador, pela excelente gestão que vem fazendo à frente do Governo do Estado, por ter revolucionado a saúde na Bahia, e por todas as ações que contribuem para o desenvolvimento econômico e social da população baiana, além das entregas de obras importantes aqui no município e região”, afirmou o presidente da Câmara de Vereadores de Cairu, Abdon Ché.
 

Política

20 de Jan // bahia.ba | Política

Pré-candidato a presidente, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), quer o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), como seu vice na chapa, segundo informações da coluna Radar, da revista Veja.

 

De acordo com a publicação, o tucano precisa, no entanto, combinar com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM).Alckmin chegou a cogitar o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), como seu vice, mas o chefe do Palácio Thomé de Souza descartou. “Não serei vice de ninguém”, já disse o democrata soteropolitano.

Política

20 de Jan // globo.com | Política

 O vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, concedeu neste sábado (20) decisão liminar permitindo a posse da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) no Ministério do Trabalho. Com a decisão, a posse da deputada está marcada para a próxima segunda-feira (22), mesmo dia em que o presidente Michel Temer embarcará para a Suíça, onde participará do Fórum Econômico Mundial.


A decisão atende a pedido da Advocacia Geral da União (AGU), que representa o governo junto à Justiça. Anteriormente, o órgão teve três pedidos semelhantes negados no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), de segunda instância.
No recurso ao STJ, a AGU contestou a tese de que a nomeação de Cristiane Brasil contraria o princípio da moralidade, determinado pela Constituição, por causa de condenações que ela sofreu na Justiça Trabalhista.


Para o órgão, a ação não descreve e nem demonstra qualquer dano concreto ao patrimônio público, condições para impedir uma nomeação por ofensa à moralidade. Além disso, argumentou que a suspensão da nomeação vem impedindo o regular funcionamento do ministério.
“A decisão em combate vem interferindo drasticamente no Poder Executivo Federal, provocando danos à gestão governamental, na medida em que coloca em risco o Ministério do Trabalho ao deixar a pasta sem comando, impedindo, via de consequência, a normal tramitação de importantes ações governamentais e sociais”, afirmou a AGU.


Ao deferir o recurso da AGU, o ministro entendeu que condenações em processos trabalhistas não impedem a deputada de assumir o cargo. Ele destacou que não há nenhuma previsão na lei com essa determinação.
"Ocorre que em nosso ordenamento jurídico inexiste norma que vede a nomeação de qualquer cidadão para exercer o cargo de ministro do Trabalho em razão de ter sofrido condenação trabalhista. O fumus boni iuris acerca da questão é evidente", afirmou o ministro na decisão.
Ele afirmou ainda que a indicação para os cargos de ministros de Estado são de competência do presidente da República e que não se pode impedir ninguém de assumir o posto sem embasamento jurídico-legal que justifique tal medida.


"Não é aceitável que decisões liminares suspendam atos de nomeação e de posse, sem clara comprovação de violação ao ordenamento jurídico", afirmou.

Política

20 de Jan // Gildásio Cavalcante | Política

O juiz Antonio Augusto Galvão de França, da 3ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo, negou nesta sexta-feira, 19, o pedido da Central Única dos Trabalhadores (CUT) para realizar na Avenida Paulista um ato a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na próxima quarta-feira. Com a decisão, a entidade transferiu sua manifestação para a Praça da República, no centro de São Paulo.

 

A CUT ajuizou uma mandado de segurança na quinta-feira, 18, para garantir espaço na via no dia 24, quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, vai julgar um recurso do petista no caso do triplex do Guarujá (SP). Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, da Lava Jato em Curitiba. A avenida, no entanto, também foi requisitada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e Revoltados Online para uma manifestação contrária a Lula.

 

Na quarta-feira, foi realizada uma reunião com entidades e Polícia Militar, mas não houve acordo. “No caso em pauta, a entidade impetrante (CUT) comunicou aos órgãos competentes o intuito de realizar evento às 14 horas, na Avenida Paulista, 1.578, na altura do Masp, com ‘carro de som de grande porte, falas políticas e ação cultural’. Todavia, há notícia de que uma outra entidade indicou intuito em promover manifestação de ideal antagônico no mesmo dia e local”, escreveu França. De acordo com o juiz, porém, “não resta claro qual entidade protocolou primeiro o documento”. “Contudo, analisando a ata da reunião realizada junto à Polícia Militar, tudo indica que a preferência é da outra manifestação (anti-Lula)”, afirmou o juiz na decisão.

Política

20 de Jan // Gildásio Cavalcante | Política

Para onde vai Walter Pinheiro? É o que todos estão se perguntaram nessa semana desde que circularam alguns rumores de que ele está conversando com líderes partidários para se lançar nas urnas mais uma vez. O senador licenciado e atualmente sem partido, no entanto, ainda não definiu qual rumo vai tomar na eleição de 2018.

 

Uma coisa, ao menos, já se sabe: o atual secretário da pasta de educação do governo Rui Costa não está parado e deve anunciar o ingresso em uma nova legenda e breve. Na noite da última quinta-feira, Pinheiro se sentou à mesa com o vice do Palácio de Ondina,  João Leão (PP), deputados pepiastas e o senador Roberto Muniz (PP). O encontro aconteceu em uma confraternização pelos 55 anos de idade do governador Rui Costa (PT). “Junto com membros da base Progressista e amigos, viemos trazer nossos votos de longa vida e realizações felizes, para o nosso grande governador Rui Costa”, postou Leão em sua página no Facebook.

 

Mais cedo, pouco antes da festa, Leão disse ao site Bahia.ba que convidaria Pinheiro para a legenda, mas foi cauteloso ao falar se haveria espaço na chapa governista. “Não sei. Quem sabe? Vamos conversar. Se Jaques Wagner for candidato a presidente, teremos mais uma vaga na chapa”, afirmou. Procurado pela Tribuna, o  secretário-geral do PP na Bahia, Jabes Ribeiro, também informou que ainda não há uma definição sobre a migração de Pinheiro para o grupo. 

Política

20 de Jan // Gildásio Cavalcante | Política

Na sua primeira declaração sobre o afastamento de quatro vice-presidentes da Caixa, o presidente Michel Temer disse que não vai concluir seu mandato com a pecha de um "sujeito que incorreu em falcatruas".

 

Temer concedeu entrevista a Folha de S. Paulo na quinta-feira (18). Ele nega que tenha demorado a afastar os vice suspeitos de corrupção - a decisão foi tomada por ele na terça (16).

 

O presidente se defende de possíveis práticas suspeitas na sua relação com essas pessoas. Diz ainda que eles podem voltar aos cargos no banco e não descarta manter a prática de aceitar indicações políticas para essas funções.

 

Temer ainda negou ter adotado “dois pesos e duas medidas” por não afastar o presidente da Caixa, Gilberto Occhi. Segundo ele, “não há nada mais concreto” na acusação contra Occhi.BocaoNews
 

Política

20 de Jan // Gildásio Cavalcante | Política

PT vem intensificando sua mobilização internacional em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que será julgado na quarta-feira pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Um grupo de deputados americanos do partido Democrata vai divulgar nesta sexta-feira (19) uma carta denunciando as "violações flagrantes" do direito do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a um processo justo e a "campanha de perseguição judicial de motivação política", segundo apurou a reportagem.

 

Paralelamente, o abaixo-assinado "Eleição sem Lula é fraude", organizado pelo ex-ministro Celso Amorim, conquistou quase 200 mil assinaturas, entre elas a do ativista Daniel Ellsberg, dos cineastas Constantin Costa-Gavras e Oliver Stone, ex-ministro grego Yanis Varoufakis e o linguista Noam Chomsky. Ellsberg foi o responsável pelo vazamento dos documentos conhecidos como "Papeis do Pentágono", em 1971, que revelaram como o governo americano estava ocultando o fracasso na guerra do Vietnã. É tema do filme "The Post", concorrente ao Oscar.

 

"O objetivo é mostrar que o mundo está de olho, vendo as injustiças que estão sendo cometidas no Brasil", diz Amorim, cotado para ser o candidato do PT ao governo do Rio.

 

Também assinaram o manifesto os ex-presidentes Pepe Mujica (Uruguai), Cristina Kirchner (Argentina), Ernesto Samper (Colômbia) e o ex-primeiro ministro italiano Massimo D'Alema.

Política

19 de Jan // | Política

O secretário estadual de Desenvolvimento, o ex-governador Jaques Wagner (PT), apostou que o ex-presidente Lula será candidato “até o final” e disse que o PT está costurando uma “ampla aliança” para a candidatura do petista. Mesmo com uma eventual condenação na segunda instância e até preso, Lula da Silva ainda poderá registrar sua candidatura no TSE.

 

Isso não significa, porém, que a presença dele na eleição presidencial, marcada para 7 de outubro, seja uma certeza. “Se tivesse prova, tudo bem. Aliás, quem criou a Lei da Ficha Limpa fomos nós. Lula vai ser lançado na candidatura, vai ser aclamado, estamos trabalhando para costurar uma aliança o mais ampla possível. E, na minha opinião, ele vai até o final”, avaliou, Wagner à TVE.

 

Já foi noticiado que o PP e o PR podem caminhar com Lula, principalmente se o petista se livrar da inelegibilidade. “Eu digo sempre que é como se os outros países quisessem que a gente fosse para a Copa sem Neymar, o nosso craque. Lula é o nosso craque na política, pelo menos para os que acreditam no nosso projeto”, prosseguiu Wagner, acrescentando que o maior erro do PT foi não ter feito a reforma política em 2003.

Política

19 de Jan // | Política

O ex-presidente e senador Fernando Collor de Mello (PTC) anunciou, nesta sexta-feira, sua pré-candidatura à Presidência da República. O anúncio foi feito em entrevista a uma rádio de Arapiraca, em Alagoas, que pertence ao grupo de comunicação de sua família. “Tenho uma vantagem em relação a alguns candidatos porque já presidi o País”, disse.

 

Ele ainda acrescentou: “Meu partido todos conhecem. Todos sabem o modo como eu penso e ajo para atingir os objetivos que a população deseja para a melhoria de sua qualidade de vida”, declarou. Color presidiu o Brasil entre 1990 e 1992, quando se tornou o primeiro chefe da República a sofrer impeachment.

 

Segundo o senador, o assunto será tratado na convenção do partido, antigo PRN. Na entrevista, o senador lembrou a importância da realização de reformas, principalmente a política, que deve diminuir o número de partidos. “Alguns avanços vêm sendo atingidos, mas muitas outras reformas precisam ser executadas, sobretudo a política, para que possamos ter um conjunto de partidos que representem as faces ideológicas de uma sociedade”, argumentou.

Política

19 de Jan // | Política

O prefeito ACM Neto tirou alguns dias de férias com a família. O descanso não deixa de ser uma tentativa de fugir do caldeirão político que o prefeito de Salvador ingressou após se tornar o único nome viável do grupo político liderado por ele para concorrer ao governo da Bahia nas eleições de 2018.

 

A tarefa de bater o governador Rui Costa na tentativa de reeleição é complexa e, caso Neto confirme estar disposto a participar do pleito, estaria abrindo mão de administrar Salvador apenas 1 ano e três meses depois de ter sido reeleito com 74% dos votos. Este texto integra o comentário desta sexta-feira (19) para a RBN Digital.

 

Cacifado eleitoralmente, o democrata aumentou o potencial político desde que passou a ter melhor trânsito com o governo federal. Com a máquina da União ao seu lado, os ventos começaram a soprar favoráveis, porém não parecem ter encantado plenamente o prefeito. Em conversas recentes com a imprensa, o prefeito ACM Neto nega ter uma definição sobre o futuro político. Ele é cauteloso antes de assumir se é ou não candidato ao governo.

Política

19 de Jan // | Política

Desde que foram vistos almoçando juntos no início desta semana, o prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM), e o deputado estadual Marcelo Nilo, agitaram os bastidores da política baiana com a possibilidade de um deles migrar de suas respectivas bases e caminharem ao mesmo lado nas eleições deste ano.

 

Zé Ronaldo explicou que o encontro foi com “um amigo pessoal”, mas admitiu que iniciou tratativas políticas que devem se desenrolar ao longo deste ano. “São coisas desse momento político. Isso faz parte de todo um processo. [As conversas] Vão continuar acontecendo e será um prazer sentar com ele para conversar”.

 

O demista negou, porém, que tenha utilizado o revés de Nilo na disputa pela presidência da Assembleia Legislativa para convencê-lo de abandonar a base do governador Rui Costa (PT) e passar a apoiar a eventual candidatura do prefeito ACM Neto (DEM) ao governo do estado. Na ocasião da disputa com o atual presidente Angelo Coronel (PSD), Marcelo Nilo não escondeu certa chateação por falta de um apoio mais vigoroso de Rui.

Política

19 de Jan // | Política

O líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ), postou um vídeo em sua página no Facebook em que endossou nesta última quarta-feira (17) as declarações da presidente nacional do partido, Gleisi Hoffmann (PR), segundo quem para decretar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai ter que "matar gente".

 

Embora a própria Gleisi tenha afirmado que foi uma "força de expressão" e prometido ir "em paz" à cidade de Porto Alegre, Lindbergh criticou os correligionários que tentaram minimizar o impacto das declarações da senadora. No vídeo, o parlamentar afirma que defende "uma nova esquerda, pronta para o enfrentamento e lutas de rua e não uma esquerda frouxa".

 

"Vi gente de esquerda dizendo que não era bem isso. O que esse pessoal quer? Será que não entenderam o que está acontecendo no país? Será que acham que estamos vivendo um período de normalidade democrática? Não", disse Lindbergh líder do PT no Senado. Para o senador, o processo de condenação do ex-presidente Lula "não tem provas e está desmoralizado" segundo informações da Agência Folha Press.

Política

19 de Jan // | Política

O senador José Serra (PSDB-SP) afirmou na noite de quinta (18) que não será candidato a governador de São Paulo ou a presidente da República nas eleições deste ano. Ao Estado de S. Paulo, ele declarou que irá se dedicar a seus projetos em andamento no Legislativo, como o que trata da instituição do sistema distrital misto no país.

 

O mandato de Serra no Senado vai até 2022. O tucano era um dos cotados de seu partido para disputar o governo do Estado de São Paulo. Outros nomes considerados são o do prefeito de São Paulo, João Doria, o do secretário de Desenvolvimento Social de São Paulo, Floriano Pesaro, e o do cientista político Luiz Felipe d'Ávila.

 

Ele defende alterações no sistema eleitoral e político brasileiro.  Em jantar com deputados estaduais em novembro do ano passado, Serra se disse disposto a disputar eleição, mas não especificou em qual cargo concorreria. Ele é alvo de um inquérito que investiga se ele recebeu recursos da Odebrecht, via caixa dois, para financiar sua campanha na eleição de 2010. A informação foi antecipada pelo site do jornal "O Estado de S. Paulo".

Política

19 de Jan // | Política

A menos de uma semana de ser julgado por três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou a jornalistas estrangeiros que uma eventual impugnação de sua candidatura à Presidência da República, consequência provável de uma condenação, seria uma "fraude".

 

Além disso, o petista declarou que vai continuar "brigando" até o final para concorrer no pleito de outubro.  "Na minha vida eu não conheço a palavra desistir e não faço uso dela", disse Lula nesta última quinta-feira, 18, a representantes dos jornais El País, The New York Times, The Guardian, La Nación, Die Zeit e Liberátion.

 

A entrevista está estampada na capa do jornal El País, da Espanha, desta sexta-feira (19). "Se o Lula for proibido de ser candidato por uma decisão política do judiciário, obviamente está se montando uma fraude", disse o ex-presidente, referindo-se a ele próprio. Em discurso na capital paulista após ter dado a entrevista, Lula reforçou o discurso. "Quero que o PT me indique à Presidência. Se não for como candidato, serei como cabo eleitoral".

Política

19 de Jan // | Política

O grupo político no entorno do prefeito ACM Neto (DEM) tenta, com diversos argumentos, arregimentar apoios para catapultar a candidatura do gestor ao governo da Bahia, o que inclui o leilão da filiação do atual vice-prefeito, Bruno Reis (PMDB), a partidos que integram a base do governador Rui Costa (PT), como PP e PR.

 

A operação não é simples, pois depende também do cenário nacional, porém não é descartada por articuladores ligados ao prefeito. Os dois partidos mantêm conversas com o DEM no plano federal e a eventual filiação de Reis poderia entregar a máquina da prefeitura de Salvador para a sigla destino do vice, caso ACM Neto renuncie para a candidatura ao governo.

 

Publicamente, Reis fala que mantém interesse em permanecer no PMDB. No entanto, nos últimos dias, começaram a circular rumores de que o vice teria como destino o DEM, para evitar que o partido perca o legado eleitoral de ACM Neto. A hipótese de alocar Reis em algum partido da base de Rui estaria como uma hipótese intermediária, num esforço para atrair uma legenda com musculatura política que justifique a medida.

Política

19 de Jan // | Política

Diante da disputa em torno da vaga restante para o Senado Federal na chapa majoritária do governador Rui Costa, o ex-presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) e quase filiado ao PSB da senadora Lídice da Mata, Marcelo Nilo (PSL), propôs um desafio aos postulantes. Marcelo nilo deu entrevista ao Bahia Notícias.

 

Ele defendeu que, ao invés de duas, o grupo político de Rui lance três candidaturas a senador, com os nomes da senadora Lídice da Mata (PSB), o ex-governador Jaques Wagner (PT) e o presidente da AL-BA, Angelo Coronel (PSD). “Vamos colocar os três e, aí, vamos ver quem tem farinha no saco”, alfinetou Marcelo Nilo.

 

A provocação do deputado tem um alvo em específico: o PSD, comandado na Bahia pelo senador Otto Alencar. Como uma das vagas da majoritária está praticamente selada ao PSD – a outra foi garantida a Jaques Wagner -, Marcelo Nilo quer que a disputa seja no voto, e não por estrutura partidária. A sigla de Otto é, atualmente, a que tem maior número de prefeitos no estado e, além disso, possui o comando da AL-BA e da UPB.

Política

19 de Jan // | Política

O PT terá mais que o triplo do tempo de televisão do DEM para propaganda política dos candidatos ao governo do estado e deputados estaduais. O levantamento foi realizado pelo advogado eleitoral Ademir Ismerim e não considera as eventuais coligações que devem ser formadas pelas legendas.

 

De acordo com o estudo, o PT terá 63 segundos, contra 19 do DEM. O cenário mais provável para a disputa pela gestão estadual em 2018 coloca esses dois partidos como principais concorrentes, com Rui Costa (PT) e ACM Neto (DEM) como possíveis candidatos segundo informações do Bahia Notícias.

 

Como as coligações ainda estão em fase de discussão envolvendo os dois grupos, ainda não é possível prever o tempo de TV que cada agrupamento político terá disponível no horário eleitoral gratuito. A propaganda eleitoral no rádio e na televisão terá 25 minutos em cada exibição. O horário reservado para os candidatos ao governo terá 9 minutos - assim como para os candidatos a deputado estadual. Para o Senado, o horário terá duração de 7 minutos.

Política

18 de Jan // | Política

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse na manhã desta quinta-feira (18) que se sente "honrado" com as preocupações de possíveis concorrentes à Presidência da República - como o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) - com a sua eventual candidatura segundo informações do Estadão.

 

"Sobre preocupações de outras pessoas, acho muito normal, razoável e legítimo que pessoas - seja lá quem for - fiquem preocupadas com potenciais adversários no futuro", disse Henrique Meirelles em entrevista à Rádio Metropolitana de Salvador, após ser questionado sobre o presidente da Câmara Rodrigo Maia.

 

Segundo o ministro, as preocupações em torno da sua eventual candidatura em 2018 começaram ainda um ano e meio atrás, quando assumiu o Ministério da Fazenda. "Minha resposta continua a mesma: fico muito honrado que fiquem preocupados comigo, com o meu potencial de crescimento no futuro",disse Meirelles em entrevista. O ministro voltou a dizer que só tomará uma decisão sobre a sua candidatura no final de março ou começo de abril.

Política

18 de Jan // | Política

A citação do deputado federal Antonio Brito como um possível nome do PSD para a chapa majoritária do governador Rui Costa em sua candidatura à reeleição foi uma operação montada pelo presidente estadual da sigla para retirar dos holofotes o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Angelo Coronel.

 

De acordo com informações obtidas pelo Bahia Notícias, como a indicação de Coronel para o Senado na majoritária está se consolidando na agremiação, Otto resolveu lançar Brito como opção para evitar uma operação de desidratação do presidente da AL-BA, capitaneada por partidos interessados na vaga.

 

Como sabido, no grupo político do governador Rui Costa, é grande a disputa por espaço na majoritária. PT, PP, PR, PSB, PSD, PCdoB e PDT querem vagas, mas há lugar apenas para quatro. E, por enquanto, os ocupantes dos postos estão praticamente definidos. Serão dois do PT, o próprio Rui, além de Jaques Wagner para o Senado; um do PP, com João Leão candidato novamente para vice; e um do PSD, cujo nome mais cotado é Coronel.

Política

18 de Jan // | Política

Prestes a retornar ao cenário político, o senador licenciado Walter Pinheiro (sem partido) mostra-se otimista com relação ao pleito de 2018. Para ele, com o contexto de crise política se arrastando há pelo menos três anos, a sociedade deve se envolver no processo. Gostaria de compartilhar do mesmo otimismo dele.

 

Mesmo que haja maturidade suficiente para um pleito sem a já tradicional dualidade Partido dos Trabalhadores x Partido da Social Democracia Brasileira, as eleições de 2018 têm um prognóstico muito ruim para quem acompanha o dia-a-dia dos atores políticos, especialmente no plano nacional. São inúmeros exemplos que assustam.

 

Desde a boa pontuação do deputado Jair Bolsonaro (PSC) nas pesquisas eleitorais, sob o discurso de “moral ilibada” e uso questionável do auxílio-moradia para “comer gente”, ao retorno do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à corrida presidencial. De Lula, a população brasileira se acostumou com a verborragia e o uso de discursos pitorescos para obter a empatia. Este texto integra o comentário desta quinta-feira (18) para a RBN Digital.

Política

18 de Jan // | Política

O ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, anunciou por meio de seu blog pessoal sua saída do PR. No texto, publicado nesta terça-feira (16), ele disse estar aliviado com a decisão porque o partido “hoje é uma sucursal do governo Michel Temer”. Garotinho ainda não divulgou a qual partido deve se filiar.

 

Ele explicou que decidiu deixar o PR ao saber que a Comissão Executiva Regional Provisória da legenda no Rio de Janeiro foi dissolvida pela Executiva Nacional. Em seu texto, Garotinho também fez menção ao bunker de R$ 51 milhões encontrado em um apartamento de Salvador.

 

“Deixo o PR aliviado já que o partido hoje é uma sucursal do governo Michel Temer, que está entregando o Brasil, perseguindo aposentados, comprando deputados para aprovar reformas políticas, gastando bilhões para não ser investigado sobre as malas de Geddel Vieira Lima, as mutretas de Cunha, as maracutaias de Rodrigo Rocha Loures”, escreveu.

Política

18 de Jan // | Política

O primogênito de Jair Bolsonaro, o deputado Flavio Bolsonaro, o ex-ministro e bispo licenciado da Universal Marcos Pereira e André Valadão, que com a irmã pastora Ana Paula Valadão lidera a banda Diante do Trono. Eis algumas das cartas na manga de uma frente evangélica que investe no pleito de 2018 para quintuplicar sua presença no Senado.

 

A ideia é saltar dos atuais três evangélicos na Câmara dos Deputados para 15, diz o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), aliado do pastor Silas Malafaia, para quem já trabalhou como diretor de eventos. Já na Câmara a proposta é pular dos cerca de 80 membros da bancada evangélica para 150, o que daria 30% dos 513 deputados segundo a Folha.

 

Seria um número mais condizente com os 32% de brasileiros que se declararam evangélicos em pesquisa Datafolha, e o reforço parlamentar turbinaria a agenda conservadora no Congresso, diz Cavalcante. "Começamos a ver dificuldades para nossas pautas -contra legalização das drogas, casamento gay etc. A gente conseguia vitórias importantes na Câmara e, mesmo com a troca do governo ideológico do PT pelo do [Michel] Temer, elas travavam no Senado."

Política

18 de Jan // | Política

O vice-presidente da Caixa Econômica, Roberto Derziê, apontado como intermediador de interesses na entidade, era frequentador de gabinetes do Palácio do Planalto. De acordo com a coluna Estadão, Roberto Santana esteve com Michel Temer três vezes em 2017 e, em duas delas, o presidente do banco, Gilberto Occhi, acompanhou a reunião.

 

Além de Temer, o vice afastado por irregularidades também visitava os ministros da articulação do governo Carlos Marun, e com o ex-ministro Antonio Imbassahy. A publicação afirma que interlocutores confirmam que, nas visitas ao Planalto, o agora ex-vice-presidente apresentava as relações de pedidos de financiamento em tramitação no banco.

 

Temer determinou o afastamento de quatro dos 12 vice-presidentes da Caixa Econômica Federal, por 15 dias, para que apresentem defesas sobre denúncias feitas pelo Ministério Público Federal (MPF), informou o Palácio do Planalto em nota nesta na última terça-feira. A decisão ocorreu após reunião do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, com o presidente da Caixa [CAIXA.UL], Gilberto Occhi, mais cedo nesta terça-feira.

Política

18 de Jan // | Política

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) afirmou na quarta (17), que o ex-deputado Eduardo Cunha "não nomeou apenas os vices da Caixa, mas todo governo Temer". "(Cunha) Sempre teve três metas: influir nas delações  transferindo suas responsabilidades; aprovar o impeachment (da ex-presidente Dilma) e governar", escreveu Renan no Twitter. 

 

Desde o ano passado, Renan Calheiros acusa o governo do presidente Michel Temer de ser "comandado" por Eduardo Cunha, que está preso desde outubro de 2016. Em novembro do ano passado, o senador criticou a indicação de Carlos Marun (PMDB-MS), um dos principais aliados de Cunha, para a Secretaria de Governo.

 

Na época, ele disse que seria "mais inteligente nomear diretamente Eduardo Cunha para ser ministro da articulação política". Ontem, Temer decidiu afastar, por 15 dias, quatro vice-presidentes da Caixa que são suspeitos de corrupção. Uma auditoria independente contratada pela Caixa tem o relato de um dos dirigentes afastados, Antônio Carlos Ferreira, que relatou ter sofrido pressão de Cunha segundo o Estadão Conteúdo.

Política

17 de Jan // | Política

A candidatura de Antônio Brito (PSD) na chapa de Rui Costa pode não passar de balão de ensaio. A informação é de um importante pessedista diante da informação veiculado pelo BNews. Brito pode ser uma alternativa do PSD para compor a chapa, num campo em que o presidente da ALBA, Angelo Coronel, nadava de braçada.

 

Em conversa com o BNews, o presidente do PSD, senador Otto Alencar, não corrobora com a informação de a candidatura de Brito é balão de ensaio, mas diz que o deputado se mostrou interessado em compor a chapa, mas a primazia é de Coronel. “Ele falou comigo en passant, mas acho que Coronel está mais em condição de representar o partido”, assinalou.

 

O único problema concreto do PSD, se é que se pode chamar isso de problema - é a vaga que será oferecida ao partido. Se a de vice ou Senado. Tudo vai depender da definição do vice-governador João Leão (PP). Segundo Otto Alencar, Leão é quem irá decidir qual espaço que quer na chapa. “Ele me ajudou muito na campanha de 2014. E eu jamais farai isso com ele. Leão é quem vai escolher “, afirmou segundo informações do Bocão News.

Política

17 de Jan // | Política

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou nesta quarta-feira (17), em Washington, que gostaria de ver o ex-presidente Lula entre os candidatos ao Palácio do Planalto para desfazer o mito de que o PT deixou um grande legado. Maia disse um programa que escraviza as pessoas não é bom, em referência ao Bolsa Família.

 

"Criar um programa para escravizar as pessoas não é um bom programa social. O programa bom é onde você inclui a pessoa e dá condições para que ela volte à sociedade e possa, com suas próprias pernas, conseguir um emprego. A cidadania é um emprego, a cidadania não é depender do Estado brasileiro", afirmou o presidente da Câmara.

 

Maia ainda fez referências a políticas sociais petistas como o Minha Casa Minha Vida, dizendo que o programa "realizou o sonho da casa própria", mas não mostrou a essas pessoas que, a partir dessa nova realidade, elas teriam que assumir responsabilidade como cidadãos, como pagar conta de luz e água. De acordo com o presidente da Câmara, hoje as pessoas têm casa própria, mas vivem com muita dificuldade.

Política

17 de Jan // | Política

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, defendeu o fim da Justiça do Trabalho, que classificou de "excrescência brasileira" e "babá de luxo". “A Justiça do Trabalho custou no ano passado R$ 22 bilhões para dar de soluções entre indenizações e acordos menos de R$ 8 bilhões. Ela é a babá mais cara do mundo".

 

"Você não tem defesa na Justiça do Trabalho. Nós tínhamos que acabar com a Justiça do Trabalho, porque ela é uma excrescência brasileira, e julgar na Justiça comum”, afirma Jefferson. A manifestação ocorre após sua filha, a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), ser impedida por decisão judicial de ser empossada ministra do Trabalho.

 

Ela foi condenada a pagar R$ 60 mil por dívidas trabalhistas a um de seus ex-motoristas e fez acordo com outro funcionário de modo a evitar nova condenação. O petebista classifica a Justiça do Trabalho como “socialista e populista”. “Temos 2% da mão de obra regular, reconhecida com carteira assinada, e 85% das reclamações trabalhistas do mundo. O que mostra que é uma indústria do reclamante, porque o reclamado sempre perde”.

Política

17 de Jan // | Política

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, nesta última terça-feira (16), que “a Polícia Federal mentiu no inquérito, o Ministério Público mentiu na acusação e o [juiz Sérgio] Moro mentiu na sentença” ao comentar o caso do triplex no Guarujá, em que foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão.

 

A afirmação aconteceu em um ato no Rio de Janeiro com intelectuais que apoiam a candidatura dele ao Palácio do Planalto em 2018 e a poucos dias do julgamento do recurso da sentença pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que pode torná-lo inelegível em outubro. No discurso, Lula garantiu querer participar do processo eleitoral para “provar a inocência”.

 

“Pra mim, a honra vale muito. O meu orgulho vale muito. Se eu não roubei quando eu era pequeno, quando eu tinha vontade de comer uma maçã, eu nunca roubei”, bradou Lula. O ex-presidente ainda sugeriu que “esses sem vergonhas deveriam ter a dignidade de pedir desculpas e dizer ‘não encontramos nada na sua casa’” sem especificar quem deveria realizar o pedido apesar das referências aos cumprimentos de mandados de busca e apreensão.

Política

17 de Jan // | Política

No relatório final de investigação independente contratada pela Caixa Econômica Federal, o escritório Pinheiro Neto cita um e-mail do gabinete do então vice-presidente da República, Michel Temer, para o vice-presidente afastado do banco Roberto Derziê segundo informações do Estadão Conteúdo.

 

"Conforme contato telefônico, segue o pleito para Superintendente Regional de Ribeirão Preto -SP", diz a mensagem assinada com: "atenciosamente, Michel Temer." Como resposta, o vice-presidente de Operações Corporativas da Caixa Econômica Federal diz que o pleito seria tratado com prioridade.

 

O Palácio do Planalto afirma que Temer não envia e-mails e que funcionários cuidam do correio eletrônico. Questionado pela auditoria sobre o e-mail, Derziê afirmou "que se tratava de uma indicação de uma pessoa para o cargo de Superintendente da Região de Ribeirão Preto (SP)". Michel Temer determinou que a Caixa Econômica afastasse quatro VPs, entre eles Derziê, nesta última terça-feira (16), após uma ordem de recomendação.

Política

17 de Jan // | Política

A disputa por uma vaga para concorrer ao Senado pela Bahia em 2018 tem trazido perfis interessantes para os eleitores. Principalmente daqueles mais próximos ao governador e candidato à reeleição, Rui Costa. Basta olhar para os principais nomes já públicos que tentam um espaço para disputarem a eleição:

 

Jaques Wagner (PT), Lídice da Mata (PSB), Angelo Coronel (PSD) e Ronaldo Carletto (PP). O ex-governador Wagner é considerado o único com vaga garantida, apesar de sugerir que abriria mão da disputa em prol da unidade do grupo. O petista possui perfil conciliador e, com trato refinado, dificilmente encontraria oposição dentro do próprio grupo.

 

Lídice é a mais esquerdista nessa disputa. Ícone da resistência ao carlismo na década de 1990, surfou na onda vermelha em 2010 e garantiu a atual cadeira no Senado. Agora, corre o risco de ficar fora da chapa por problemas de musculatura política do PSB na Bahia. Os dois últimos, Coronel e Carletto, possuem perfis mais próximos entre si, porém diferentes de Wagner e Lídice. Este texto integra o comentário para a RBN Digital desta quarta-feira (17).

Política

17 de Jan // | Política

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou na terça-feira (16) que, se o governo não conseguir os votos necessários para aprovar a reforma da Previdência em fevereiro, a Câmara não votará mais a proposta. A proposta só será aprovada se tiver o apoio mínimo de 308 dos 513 deputados, em duas votações.

 

Pelo cronograma anunciado por Maia ainda no ano passado, a discussão sobre a reforma está marcada para o próximo dia 5 de fevereiro e a votação, para 19 de fevereiro.  "Na minha opinião, se não conseguir voto em fevereiro, não vota mais. Depois, nós vamos ter outras agendas que precisam avançar", disse Rodrigo Maia.

 

Rodrigo Maia ainda acrescentou que há medidas provisórias na pauta, além do projeto que restringe o chamado foro privilegiado. Maia está em Washington, nos Estados Unidos, em viagem oficial com um grupo de deputados. Ele deu a declaração durante entrevista a jornalistas brasileiros. Mais cedo, nesta terça, o presidente da Câmara já havia dito, durante um discurso, que tem dado andamento à agenda da reforma, mas "sem nenhum tipo de otimismo".

Política

17 de Jan // | Política

Um dos quatro vice-presidentes da Caixa Econômica Federal afastados na terça (16) por ordem do presidente Temer, Antônio Carlos Ferreira, afirmou em investigação interna sobre indícios de corrupção na instituição que sofreu pressão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), atualmente cassado e preso.

 

O afastamento dos gestores foi decidido após recomendação do Ministério Público Federal (MPF) do Distrito Federal e do Banco Central. Ferreira, que ocupava a vice-presidência corporativa, relatou que Cunha cobrava dados semanais sobre as operações realizadas pelo banco superiores a R$ 50 milhões.

 

O executivo disse ter contado o fato para o então presidente da instituição financeira, Jorge Hereda, que pediu a ele que também informasse ao presidente Michel Temer – então vice-presidente da República – o que estava acontecendo. Ferreira afirma ter cumprido o que Hereda determinou, mas Michel Temer teria reagido apenas dizendo que Eduardo Cunha era um parlamentar “controverso” segundo informações do G1.

Política

17 de Jan // | Política

O deputado estadual Fernando Capez (PSDB), de São Paulo, foi denunciado ao Tribunal de Justiça por participar do esquema de desvios no fornecimento de merenda escolar no estado. A Operação Alba Branca foi deflagrada há um ano pela Polícia Civil e pelo Ministério Público de São Paulo, ficando conhecida como Máfia da Merenda.

 

A denúncia envolve outras oito pessoas foi oferecida pelo procurador-geral de Justiça de SP, Gianpaolo Smanio, que pediu pagamento de R$ 2,27 milhões a título de multa. O valor é equivalente ao dobro da propina que teria sido destinada ao deputado, a lobistas e a um representante comercial da Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar.

 

A empresa é apontada como principal envolvida no esquema. De acordo com o Valor, a acusação sustena que a propina paga atingiu patamar de pelo menos 10% do valor dos contratos administrativos celebrados pela Secretaria de Educação do estado e a cooperativa, em torno de R$ 11.399.285,00. A investigação sobre a máfia está em sob competência do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, porque envolve prefeitos e verbas públicas da União.

Política

16 de Jan // | Política

A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República informou que o presidente Michel Temer determinou nesta terça-feira (16) o afastamento de quatro dos 12 vice-presidentes da Caixa Econômica por 15 dias. Inicialmente, a nota da Presidência mencionava o afastamento dos vice-presidentes.

 

O Palácio do Planalto informou que a determinação de Temer se aplica somente aos quatro investigados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal, que segundo a Caixa são: Antônio Carlos Ferreira (Corporativo); Deusdina dos Reis Pereira (Governo e Loterias); Roberto Derziê de Sant'Anna (Governo); José Henrique Marques (Clientes, Negócios e Transformação Digital).

 

Procurada, a Caixa Econômica informou que cumprirá a decisão de Michel Temer. Deusdina Pereira afirmou que não comenta assuntos submetidos ao exame do Ministério Público. Roberto Derziê disse à TV Globo que não vai se manifestar sobre o assunto. José Henrique Marques da Cruz afirmou que colocou sigilos fiscal e bancário à disposição das investigações e disse que as mensagens alvo da apuração não se referiam a sua pessoa.

Política

16 de Jan // | Política

O governador Rui Costa já deu a senha, embora um dia após tivesse tentado desfazer o que chamou de mal-entendido. Fato é que a chapa da eleição de outubro será uma reedição da mesma que o elegeu em 2014, com PT, PP e PSD. Logo, a possibilidade de a senadora Lídice da Mata (PSB) tentar renovar seu mandato é remota, próxima de zero.

 

A questão não é apenas aritmética. Tanto PP e PSD têm deputados e prefeitos mais do que o PSB. O veto a Lídice passaria também por uma memória recente dos fatos. Em 2014, Rui disputou o governo do Estado, com uma candidatura pavimentada centímetro a centímetro pelo então governador Jaques Wagner.

 

Lídice, empolgada com a possibilidade do crescimento da candidatura de Eduardo Campos à presidência da República, resolveu se desgarrar do grupo ao qual sempre fez parte, para lançar-se em voo solo ao Palácio de Ondina. Até aí nada mal. Quem entra na política sonha com os cargos mais altos. O problema, segundo interlocutores do governo, é que Lídice pesou a mão quando da campanha de 2014 segundo o Bocão News.

Política

16 de Jan // | Política

Diante da repercussão negativa da sua entrevista ao site Poder 360, na qual diz que para prender o ex-presidente Lula, que será julgado no dia 24, em Porto Alegre, “vai ter que matar muita gente”, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman. “Na minha fala ao site Poder 360, usei uma força de expressão para dizer o quanto Lula é amado pelo povo brasileiro".

 

"É o maior líder popular do país e está sendo vítima de injustiças e violências q atingem quem o admira. Como não se revoltar com condenação sem provas? Política e injusta”, escreveu Gleisi em sua conta no Twitter. A senadora chegou a declarar que os desembargadores do TRF da 4ª Região criam cortina de fumaça ao dizeram que sofrem ameaças porque precisam condenar Lula.

 

“O PT não faz ameaças. O presidente do TRF-4 quer criar uma cortina de fumaça e tirar o foco do julgamento em si porque, na realidade, ele está com um pepino lá, que é um processo pelo qual não tem como condenar o Lula, por absoluta ausência de provas. Aliás, ausência de crime”, disse Gleisi à publicação. “Então, como de outras vezes, o desembargador está fazendo uma ação política. Não é papel dele cuidar disso.”

Política

16 de Jan // | Política

A presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), duvida da possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser preso, após julgamento do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), no próximo dia 24. Em entrevista ao site Poder360, Gleisi sugeriu que pessoas deveriam morrer para isso.

 

"Para prender o Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente. Aí, vai ter que matar", afirmou. A petista avalia que se a sentença do juiz Sergio Moro, que condenou Lula, for confirmada pelo tribunal, significará que "eles", os juízes, "desceram para o 'play' da política", disse.

 

Ela reforçou que uma possível decisão condenando Lula não o tirará da disputa pela Presidência da República. Isso ficará sob responsabilidade da Justiça Eleitoral. "Essa condenação não tem nada a ver com a candidatura. A candidatura do Lula vai ser decidida na Justiça Eleitoral. Porque a candidatura só se resolve na Justiça Eleitoral. É em outra esfera. Não tem nada que nos impeça de registrar Lula como candidato no dia 15 de agosto", explicou.

Política

16 de Jan // | Política

O governador Rui Costa (PT) terá que mexer bastante em seu tabuleiro para manter o jogo em andamento em ano eleitoral. Até abril, oito secretários deixarão suas respectivas pastas para concorrem aos cargos eletivos de deputado federal, estadual, senador e vice-governador neste ano. Soma-se ainda a Desenbahia, a instituição financeira do Estado.

 

A primeira mudança ocorre na Secretaria de Desenvolvimento Econômico que tem Jaques Wagner (PT) no comando. Wagner postula uma vaga ao Senado. Uma celeuma envolve o vice-governador João Leão (PP). O partido dele estaria negociando um desembarque da base aliada do governador e podendo assumir uma pasta a nível nacional.

 

De um modo ou de outro, João Leão deixará a Secretaria do Planejamento. Caso continue na base de Rui Costa, o pepista vai escolher entre se manter na vice-governadoria ou postular o Senado. Criticado durante todo o momento em que esteve à frente da secretaria de Relações Institucionais, Josias Gomes (PT) disputará a Câmara Federal novamente. Ainda sem partido, Walter Pinheiro (PT) deve postular como deputado federal.

Política

16 de Jan // | Política

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, pai da deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), impedida pela Justiça Federal de tomar posse no Ministério do Trabalho, afirmou para coluna Expresso, da revista Época, que o nome da filha está mantido até que o caso tenha um desfecho no Supremo Tribunal Federal (STF).

 

À coluna, ele afirmou que desistir de Cristiane ficaria ainda pior. “O presidente Michel Temer deu sua palavra sobre a permanência dela. Minha filha já está exposta. Eu tenho dito que está em jogo não apenas o direito privativo do presidente da República de nomear quem quiser para o seu ministério. Está em jogo a cidadania da minha filha”, afirmou.

 

“Não vamos nos dobrar nem flexionar sequer o joelho diante desta Justiça do Trabalho, extremamente ideológica”, disse. O governo sofreu mais duas derrotas nesta segunda-feira na briga jurídica que trava para tentar dar posse deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) no Ministério do Trabalho. A Justiça Federal no Rio deu duas decisões desfavoráveis, uma na primeira e outra na segunda instância, à Advocacia-Geral da União (AGU).





Classificados


Enquete



Mais Lidas