Notícias

Eleições 2018

Eleições 2018

17 de Jun // | Eleições 2018

Os pré-candidatos à Presidência da República Álvaro Dias (Podemos), Flávio Rocha (PRB) e Henrique Meirelles (MDB) recorreram às suas contas no Twitter no sábado (16) para se comunicar com sues potenciais eleitores. Álvaro Dias esteve no Vale do Aço, em Ipatinga (MG), e postou no seu microblog parte do discurso e da entrevista coletiva.

 

Na cidade mineira, Dias falou reforçando o que chama de sua principal proposta, a de refundar a República Brasileira. "O atual sistema de governança, um balcão de negócios e uma fábrica de escândalos que aparelha o Estado para atender os interesses dos chupins da República, tem que ser substituído. E essa é a nossa principal proposta", disse.

 

O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles optou por falar da econômia. Para ele, a crise econômica atual é resultado das escolhas feitas pelo povo brasileiro. "A crise que enfrentamos hoje é fruto das escolhas que nós como sociedade fizemos no passado", disse Meirelles. "É hora de nos unirmos para construir pontes de entendimentos. Não existem soluções fáceis para problemas difíceis. O Brasil já sofreu demais com a receita populista".

Eleições 2018

15 de Jun // | Eleições 2018

O presidente estadual do PDT, deputado federal Félix Júnior, revelou que neste processo de escolha das duas vagas para disputar o Senado na chapa encabeçada pelo governador Rui Costa (PT) não houve conversas com seu partido segundo o Bocão News. Diante da falta de diálogo com a legenda, o parlamentar afirma que “vai pensar no PDT”.

 

Neste sentido, a pré-candidatura solo do ex-pugilista Acelino Popó Freias está mantida até o segundo round. O PDT terá a candidatura de Ciro Gomes à presidência da República, o conforme o dirigente partidário, manterá os votos de legenda que acompanham os “brizolistas” desde a redemocratização, portanto devem ser ouvidos.

 

Outra questão levantada por Félix é que se Ciro conseguir vencer o pleito, um dos senadores baianos pode vir a ser ministro e se o suplente deste for do PDT as chances desta nomeação acontecer crescem. A despeito desta conjuntura, o que parece trazer alguma insatisfação aos pedetistas é que não foram chamados em nenhum momento para sentar-se a mesa de discussão. O conselho político de Rui não funcionou nestes três anos e meio de gestão petista.

Eleições 2018

15 de Jun // | Eleições 2018

O Partido dos Trabalhadores ainda não chegou a um consenso sobre fechar aliança com o PSB . Parte da legenda petista quer os socialistas apoiem um nome do PT para a Presidência da República em troca de uma aliança com o PSB em Pernambuco, atualmente governado pelo socialista Paulo Câmara segundo Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo.

 

Outra parte do PT, é mais flexível e quer selar aliança com trocas apenas regionais. Nessa ala, estão lideranças como Fernando Pimentel, governador de Minas, e o senador Humberto Costa, do PT de Pernambuco. Ao PSB, o PT oferece ainda a cabeça de chapa em estados como Amapá, Amazonas, Paraíba e Espírito Santo, além de Pernambuco.

 

E mais, coloca à disposição dos socialistas o cargo de vice na campanha presidencial. Segundo a colunista, um dos nomes aventados para vice na chapa presidencial do PT caso seja fechada uma aliança com o PSB é o do ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB-MG). Apesar da investida do PT, o PSB reluta em fechar aliança nacional, tanto com os petistas quanto com o PDT de Ciro Gomes.

Eleições 2018

15 de Jun // | Eleições 2018

O pré-candidato à presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, visitou a capital maranhense na quinta (14) e afirmou que não irá em busca de partidos para formar legenda para aumentar seu tempo de TV no horário eleitoral. "Não farei acordo com o diabo para ter tempo de TV", disse. Para o deputado, sua maior mídia de campanha é a da internet.

 

"Propaganda hoje é feita com isso aqui [mostrando um celular]. Tivemos o exemplo nos Estados Unidos, ninguém acreditava no Trump, mas ele ganhou". Bolsonaro foi recebido por simpatizantes e por membros de seu partido no Sebrae, seguido de um jantar com entidades empresariais em um bufê na zona nobre da cidade.

 

Sobre as pesquisas eleitorais, Bolsonaro voltou a falar sobre o resultado da pesquisa Datafolha, na qual aparece com 19% das intenções de voto em um cenário sem o ex-presidente Lula como candidato. "Pesquisas no Brasil estão sob suspeitas. Pesquisas no Brasil, como regra, sempre foram usadas para ganhar voto. O eleitor que não gosta de falar, muitas vezes (ele diz) 'não vou votar no cara que está perdendo', aí vota no cara só porque está na frente".

Eleições 2018

15 de Jun // | Eleições 2018

Novas propostas para o futuro da senadora Lídice da Mata (PSB) foram colocadas na mesa em reunião entre a socialista e o governador Rui Costa, nesta última quarta-feira (13). Questionado sobre os encaminhamentos e a decisão, Rui Costa não quis dar mais detalhes e limitou-se a dizer que a conversa “foi ótima”.

 

“Foi ótima, estamos conversando. No momento adequado vou declarar [qual posição a senadora vai ficar]. Claro que propus, como é que conversa e não propõe nada? Estamos conversando”, reforçou em entrevista na quinta-feira (14) durante homenagem a ministro do STJ e TJ-BA, na Assembleia Legislativa da Bahia.

 

Em relação à possibilidade de a senadora ser como candidata a deputada federal, Rui limitou-se mais uma vez. “É uma das hipóteses que estamos avaliando”. Como noticiado pelo Bocão News nesta quinta, a engenharia que envolve o PSB é para além da retirada de Lídice da chapa somente. Como deputada federal, Lídice da Mata dificulta eleição do atual parlamentar federal Bebeto Galvão. E para isso, o futuro de Bebeto também está em jogo.

Eleições 2018

15 de Jun // | Eleições 2018

A pré-candidata à Presidência da República pela Rede, Marina Silva, deve desembarcar em Salvador no feriado de 2 de Julho para cumprir agenda de pré-campanha no estado. A presença de Marina durante os festejos que comemoram a Independência da Bahia deve ser oficializada na próxima semana, após uma avaliação do Grupo de Trabalho.

 

Apesar de não confirmada, a visita da pré-candidata Marina Silva é esperada com confiança pelos dirigentes estaduais da sigla. O Rede na Bahia também aguarda uma decisão da executiva nacional para bater o martelo sobre a candidatura própria ao governo baiano segundo informações do Bahia Notícias.

 

O partido apresentou o nome de Célia Sacramento para disputar o Palácio de Ondina e abrir palanque para a candidatura de Marina Silva por aqui. A sigla poderia recuar com a ideia, caso fechasse um acordo de coligação com o PSOL, grupo com quem ainda mantém conversas. “Descartamos aliança com o PSDC e ainda negociamos com o PSOL, partido com quem temos uma aliança no âmbito nacional muito boa”, contou a ex-vice-prefeita de Salvador.

Eleições 2018

15 de Jun // | Eleições 2018

O pré-candidato do PSOL ao governo do estado, Marcos Mendes, deve ter uma mulher ligada aos movimentos sociais como pré-candidata a vice em sua chapa segundo informações do Bahia Notícias. O nome que vai ocupar esse posto, no entanto, ainda vai ser decidido em reunião que deve acontecer até o fim deste mês.

 

Em entrevista na quinta-feira (14), Mendes afirmou que a opção por uma representante do sexo feminino busca espelhar a estratégia adotada a nível nacional pelo partido. Guilherme Boulos, pré-candidato à Presidência da República, tem como pré-candidata a vice a líder indígena Sônia Guajajara.

 

Mendes comentou ainda que o PSOL chegou a abrir conversas com a Rede para formar uma aliança visando a eleição estadual na Bahia. No entanto, com a pré-candidatura de Célia Sacramento (Rede) ao governo, a possibilidade de união ficou pequena. "A gente abriu uma discussão com a Rede pra ver se eles nos acompanhavam. Mas parece que houve lançamento de pré-candidato deles", relatou Mendes ao Bahia Notícias.

Eleições 2018

14 de Jun // | Eleições 2018

A senadora Lídice da Mata (PSB) adotou uma estratégia nestes últimos dias que antecedem o fechamento da chapa majoritária aliada de Rui Costa (PT): ninguém do PSB deve comentar, analisar, avaliar ou dar declarações sobre a composição e suas implicações. A chapa será anunciada, segundo o governador, até a próxima terça-feira (19).

 

Após a reunião da tarde da última quarta-feira (13) ficou decidido que a senadora conversará com Otto Alencar, presidente estadual do PSD, com Rui Costa e Jaques Wagner, ambos do PT.  A decisão, conforme apurou o BNews, está tomada. O que falta é o ajuste e este ajuste pode acarretar em mudança naquilo que foi decidido. Parece confuso e é.

 

Explica-se: as cartas postas na mesa criam cenários que podem desarrumar o jogo. O fato de o PSD ser a principal força política aliada ao projeto pesa, contudo, os outros partidos que compõem o “colegiado”, principalmente, os de centro-esquerda estão convencidos de que é preciso dar um recado ao grupo de Otto. A ideia é que todos os partidos devem crescer em condições iguais de modo que não haja um protagonista beneficiado com as escolhas.

Eleições 2018

14 de Jun // | Eleições 2018

O ex-governador Jaques Wagner (PT) ventilou o nome da senadora Lídice da Mata (PSB) para disputar uma vaga na Câmara caso não consiga espaço na chapa majoritária do governador Rui Costa (PT). “O que eu acho que, se não for, provavelmente ela é candidata a deputada federal, porque ela continua na cena federal. A tendência natural é essa”, disse.

 

Jaques Wagner ainda acrescenta: “A Prefeitura de Salvador é algo muito distante para ficar sendo discutida. A própria eleição de 2018 está incerta”, disse o petista em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo. Questionado sobre as eleições presidenciais, Wagner voltou a refutar a possibilidade de ser plano B do ex-presidente Lula.

 

“Primeiro que eu não estou colocando meu nome. O PT coloca meu nome porque nós temos sucesso na Bahia, porque Rui está fazendo um belo governo, então consolidou o que eu deixei. Mas tem outros. O Wellington é um sucesso no Piauí, o Camilo é um sucesso no Ceará. Se tiver alguém a substituir o Lula, eu já dei minha opinião, acho melhor que não seja do PT. Querendo ou não, se tiver que existir o substituto, não tem naturalidade”, pontuou.

Eleições 2018

14 de Jun // | Eleições 2018

O presidente do PDT na Bahia, o deputado federal Félix Mendonça Junior disse que vê com bons olhos uma eventual aliança do DEM com o presidenciável pedetista, Ciro Gomes. Em entrevista ao Bocão News, na tarde desta quinta-feira (14), o parlamentar declarou que espera que o acordo aconteça no primeiro turno da eleição.

 

“Vejo isso como um crescimento da campanha de Ciro, com possibilidade de ir para o segundo turno. Como todo apoio, seria bem-vindo”, pontuou, ressaltando que ambas as siglas possuem afinidades que “superam” as divergências ideológicas. “Com o DEM existem divergências ideológicas, mas existem convergências que superam”, acrescentou.

 

Félix Mendonça disse ainda que as conversas do PDT com o PSB também estão avançadas em âmbito nacional. Nesta quinta-feira (14), a coluna Radar, da revista Veja, traz que o presidente do PSB, Carlos Siqueira, agendou uma reunião da executiva para o final do mês, quando o partido decidirá a quem dará apoio na corrida presidencial. O PSB reunirá a Executiva Nacional para analisar possível apoio ao ex-presidente Lula ou Ciro.

Eleições 2018

14 de Jun // | Eleições 2018

O ex-prefeito de Salvador João Henrique (PRTB) garante que tem discutido alianças com outros quatro partidos. Sem revelar nomes e siglas, o pré-candidato ao governo do Estado disse ao Bahia Notícias que dois deles aguardam os anúncios da chapa de Rui Costa (PT) enquanto outros dois esperam a decisão do grupo de José Ronaldo (DEM).

 

“A gente fez um pacto de segredo porque eles ainda estão disputando as vagas lá nessas duas chapas. Mas a medida que eles fiquem de fora dessas chapas hegemônicas, eles devem fechar com a gente”, acredita João Henrique. Até esse momento, o único nome que ele confirma é o do apresentador Celsinho Cotrim (Prona) como pré-candidato ao Senado.

 

De acordo com o ex-prefeito, todo o fundo eleitoral que Celsinho tiver, assim como o tempo de rádio e televisão, fará parte da coligação. O mesmo ocorrerá com as demais legendas que, posteriormente, firmarem a união com o PRTB. Quanto ao MDB, que até então tem o ex-ministro João Santana como pré-candidato ao governo, JH disse que tem evitado pressionar a sigla por uma resposta.

Eleições 2018

13 de Jun // | Eleições 2018

Os acenos do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e do prefeito de Salvador, ACM Neto, ao presidenciável do PDT, Ciro Gomes, racharam mesmo o DEM, segundo a coluna Painel, do jornal Folha. Integrantes da direção do partido já avisaram que vão chamar reunião da executiva para manifestar repúdio à eventual aliança com o candidato.

 

A insatisfação não é só programática. O secretário-geral do DEM, Pauderney Avelino, move uma ação contra Ciro por injúria. Em 2016, o pedetista disse em palestra que Pauderney, então líder do DEM, foi “corretor de Fernando Henrique Cardoso” na suposta compra de votos pela aprovação da emenda que permitiu a reeleição.

 

Os insatisfeitos do DEM fizeram circular em grupos de WhatsApp notícias com xingamentos de Ciro Gomes a quadros do partido, inclusive a ACM Neto, presidente da legenda. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, do DEM, vai se encontrar com Ciro Gomes na semana que vem. Segundo informações de Lauro Jardim, no jornal O Globo, ACM Neto, presidente do partido, não descarta a possibilidade de apoiar Ciro Gomes.

Eleições 2018

13 de Jun // | Eleições 2018

Uma ala governista tenta convencer até o último minuto a senadora Lídice da Mata (PSB) a disputar suplência de Jaques Wagner (PT), que será candidato à Câmara Alta do Congresso. A ideia é que, se for eleito e alguém do PT ou aliado conseguir vencer as eleições presidenciais, Wagner pediria licença do mandato para voltar a ser ministro de Estado.

 

Com isso, a socialista assumiria a cadeira. No entanto, Lídice da Mata e o partido não estão satisfeitos com a opção. A tendência hoje é ela sair a deputada federal. O plano imediato é fazer Bebeto Galvão desistir da candidatura à reeleição para ocupar esse espaço concedido a Lídice conforme apuração do Bahia Notícias.

 

O governador Rui Costa (PT) quer ganhar tempo para postergar o anúncio da chapa e conseguir equalizar esse imbróglio. Nesta última terça-feira (12), o chefe do Executivo baiano disse que esperaria a chegada do seu vice João Leão (PP), que está na China, para poder, enfim, divulgar a chapa majoritária completa à imprensa até a próxima terça-feira (19), após afirmar anteriormente que divulgaria na primeira semana de junho.

Eleições 2018

13 de Jun // | Eleições 2018

Apostando na musculatura que a virtual candidatura do senador Álvaro Dias à Presidência da República pode alcançar até outubro, o Podemos trabalha com a hipótese de ter o também pré-candidato Flávio Rocha (PRB) como vice na sua chapa. Articuladores em Brasília indicaram que o nome do Podemos tem mais força que o candidato do PRB.

 

E, por isso, Dias encabeçaria a chapa. A crença também motivaria “conversas intensas” com partidos como o DEM, PP, PT e PR para alianças na disputa deste ano. Apesar da união em nível nacional, uma chapa Dias-Rocha não alteraria o apoio do Podemos a pré-candidatura do governador Rui Costa (PT) na Bahia.

 

Ao Bahia Notícias, o presidente estadual do partido, o deputado federal Bacelar, negou que subiria em um palanque com Tia Eron (PRB), que atualmente aposta no pré-candidato de oposição José Rocha (DEM), para ajudar a suposta união dos partidos no estado. “O partido [Podemos] tem respeitado questões locais. Para governador estamos com Rui Costa sob qualquer circunstância” segundo informações do Bahia Notícias.

Eleições 2018

12 de Jun // | Eleições 2018

Uma pesquisa para a corrida presidencial, feita pelo Datafolha e divulgada neste último final de semana pelo jornal Folha de S. Paulo, indica que um em cada três eleitores não tem um candidato de preferência para a presidência da república. Isso se o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não concorrer. Se Lula concorrer, ele entra como favorito.


A mais recente pesquisa Datafolha, realizada entre os dias 6 (quarta-feira) e 7 (quinta-feira) deste mês, teve como base 2 824 entrevistas em 174 municípios em todos os Estados do País, mais Distrito Federal. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

 

A pesquisa está registrada no TSE sob número BR-05110/2018. Em todos os cenários que não consideram Lula como candidato, 33% dos eleitores dizem não ter candidato. Em seguida aparecem Jair Bolsonado (PSL), com 19% das intenções de voto; Marina Silva (Rede), entre 14% e 15% de intenção de voto; Ciro Gomes (PDT), entre 10% e 11%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 7%; e Alvaro Dias (Podemos), com 4% segundo informações da Folha.

Eleições 2018

12 de Jun // | Eleições 2018

Após uma matéria apontar que organizações comandadas por seus servidores lucram com contratos na Bahia, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Ângelo Coronel (PSD), disse que já esperava o surgimento de investidas contra ele, “às vésperas de ser indicado como pré-candidato ao Senado” na chapa do governador Rui (PT).

 

“É uma tentativa clara de misturar alhos com bugalhos para tentar denegrir a nossa imagem, não sei a quem interessa. Na ‘reportagem’ não há uma única acusação de que malversei dinheiro público. São entidades assistenciais e seus dirigentes estão dentro da total legalidade”, disse Ângelo Coronel.

 

Ainda acrescenta: “As empresas e atividades empresariais que são dirigidas por meus familiares sempre estiveram no site do grupo, sem nada dever ou ter o que esconder da sociedade”, declarou Coronel, em resposta. Mais cedo, ele já havia negado irregularidades no contrato de aliados e pontuou que as entidades não geram lucro . Quanto à chapa para a eleição de 2018, o deputado estadual disputa a vaga com a senadora Lídice da Mata (PSB).

Eleições 2018

11 de Jun // | Eleições 2018

Apesar do PT insistir na candidatura do ex-presidente Lula, alguns dos eleitores mais fieis se distanciaram dele desde a sua prisão, em abril deste ano. Essa análise foi feita pela  Folha, com base nos dados da pesquisa Datafolha. Pesquisa sobre a eleição presidencial de 2018 tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

 

De acordo com o levantamento, Lula permanece na liderança das intenções de voto, porém perdeu pontos. Enquanto na pesquisa divulgada em janeiro, ele marcava entre 34% e 37% das intenções de voto, em abril esse número caiu para 31% e o levantamento mais recente mostra o petista com 30% da preferência dos eleitores.

 

Quando os eleitores escolheram seus candidatos de maneira espontânea, que é quando os nomes não são diretamente questionados na pesquisa, Lula só é mais citado que o deputado Bolsonaro (PSL) na região Nordeste e pela parcela do eleitorado que tem menor renda. No cenário com Haddad no lugar de Lula, Bolsonaro lidera com 19%, Marina tem 15% e Ciro Gomes, 10%. Foram feitas 2.824 entrevistas entre 6 e 7 de junho, em 174 municípios.

Eleições 2018

11 de Jun // | Eleições 2018

Lançado na semana passada com o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o movimento suprapartidário que busca viabilizar uma candidatura comprometida com as reformas estruturais avalia que Marina Silva (Rede) pode se consolidar como uma alternativa do chamado "centro democrático" na disputa presidencial segundo o Estadão.

 

Líderes políticos que integram o grupo acreditam que as conversas devem se concentrar em três nomes: a ex-ministra do Meio Ambiente, o presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin e Alvaro Dias, pré-candidato do Podemos. A preocupação é criar uma terceira via para enfrentar eventual polarização com o deputado Jair Bolsonaro (PSL).

 

Parte dos signatários do manifesto Por um Polo Democrático e Reformista, lançado na semana passada, incentivou a entrada de um outsider na corrida presidencial, no caso, o apresentador Luciano Huck, que declinou do convite feito pelo PPS. Nesse aspecto, a avaliação é que, além do desempenho nas pesquisas de intenção de voto, Marina Silva ainda é um nome menos contaminado pelo desgaste com os partidos e a política tradicional.

Eleições 2018

11 de Jun // | Eleições 2018

O senador Lindbergh Farias (PT) admitiu que o PT poderá não ter o ex-presidente Lula na disputa pela Presidência e o líder petista poderá apoiar um candidato, ao comentar a mais recente pesquisa do Datafolha, divulgada neste domingo (10). Segundo Lindbergh, "o Datafolha mostra que os votos de Lula continuam sólidos como uma rocha.

 

Depois de dois meses de prisão não houve o tal 'derretimento' das intenções de voto como alguns analistas previram. Não tem jeito. O segundo turno vai ser entre Lula ou um candidato apoiado por ele e Bolsonaro." Os nomes mais cogitados para a candidatura do PT em um cenário sem Lula não obtiveram bons resultados no Datafolha.

 

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner chegaram a apenas 1% das intenções de voto. Emídio de Souza, presidente estadual do PT em São Paulo, ressaltou os números obtidos pelo ex-presidente no levantamento. "A pesquisa mostra que o eleitor não aceita a injustiça cometida contra Lula e vê nele a esperança para tirar o país da crise e o povo da miséria", disse segundo informações do Folha Press.

Eleições 2018

11 de Jun // | Eleições 2018

Com a pesquisa Datafolha divulgada neste último domingo (10) apresentando Michel Temer como o presidente mais impopular da história, o pré-candidato do MDB à sucessão, Henrique Meirelles, reforçou o discurso de que seu currículo tem início antes do governo considerado ruim ou péssimo por 82% dos brasileiros.

 

O ex-ministro da Fazenda do governo Temer oscila entre 0 e 1% na pesquisa deste fim de semana e agora destaca também sua atuação como presidente do Banco Central na gestão de Luiz Inácio Lula da Silva. "Acho que [a rejeição do presidente Temer] não afeta [minha candidatura]", disse Meirelles.

 

Ele aina diz: "A minha campanha é baseada em meu histórico e nos resultados específicos do meu trabalho, seja no governo do presidente Temer, seja anteriormente. Tenho plena segurança de que, quando conhecido meu trabalho e meu histórico pelo eleitorado, o nível de aceitação é muito grande. Meu histórico no governo Temer, anterior a isso, e o trabalho que fiz é que vão prevalecer", disse Meirelles segundo informações do Folha Press.

Eleições 2018

10 de Jun // | Eleições 2018

Mesmo preso em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém grande poder de influência no processo eleitoral, de acordo com a pesquisa Datafolha divulgado neste domingo (10). Segundo o instituto, 30% dos eleitores dizem que votariam com certeza num candidato indicado pelo petista e 17% dizem que talvez o fariam.

 

Outros 51% afirmam que o apoio do ex-presidente a um candidato os levaria a rejeitar esse nome. O PT diz estar disposto a registrar a candidatura de Lula apesar da prisão e do veto imposto pela Lei da Ficha Limpa às suas pretensões. O levantamento mostra que a popularidade de Lula seria um ativo valioso para qualquer um.

 

Os dois cotados para substitui-lo, o ex-prefeito Fernando Haddad e o ex-governador Jaques Wagner, têm 1% no Datafolha. O apoio do ex-presidente Fernando Henrique (PSDB) levaria 65% dos eleitores a rejeitar um candidato. Uma indicação do presidente Temer levaria 92% a não votar em alguém. Quase um terço dos eleitores diz que Lula deveria apoiar a candidatura de Ciro Gomes (PDT) se for impedido pela Justiça de concorrer nas eleições

Eleições 2018

10 de Jun // | Eleições 2018

O desempenho de Geraldo Alckmin (PSDB) nas pesquisas eleitorais deste ano é o pior para um candidato tucano à Presidência em quase 30 anos. A quatro meses da disputa, o ex-governador de São Paulo marcou 7% das intenções de voto no levantamento do Datafolha divulgado neste domingo (10) segundo informações do Folha de S. Paulo.

 

O índice é comparável apenas ao de Mário Covas (PSDB), que tinha 5% em junho de 1989. Ele terminou aquela eleição presidencial em quarto lugar. Para os tucanos, as dificuldades de Alckmin são motivadas pelo desgaste sofrido pelo PSDB nos últimos anos e pela multiplicação de candidaturas de centro e de direita.

 

O núcleo da campanha tucana afirma que Alckmin vai crescer nas pesquisas quando a campanha começar oficialmente, em agosto. Ele terá acesso a uma boa fatia de financiamento e de tempo na propaganda eleitoral na TV. Desde 1994, o PSDB venceu duas vezes no primeiro turno, com Fernando Henrique Cardoso (1994 e 1998) e foi ao segundo turno em 2002 (com José Serra), 2006 (Geraldo Alckmin), 2010 (Serra) e 2014 (Aécio Neves).

Eleições 2018

10 de Jun // | Eleições 2018

Pesquisa Datafolha sobre as intenções de voto na corrida presidencial de outubro revela que, nas simulações para um eventual segundo turno sem a presença do ex-presidente Lula, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), aparece em situação de empate técnico, com 36% dos votos, contra o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) (34%).

 

Lula está preso em Curitiba desde abril. Mesma situação de empate aparece contra o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), quadro em que o pedetista tem 32% e o tucano, 31%. Ciro venceria, com 38%, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), que teria 19% segundo o Estadão Conteúdo.

 

A única simulação em que Ciro ficaria atrás no segundo turno é contra Marina Silva (Rede), que teria 41%, ante 29% do ex-ministro. Marina aparece na frente também com 42% ante Bolsonaro (32%) e contra Alckmin (27%) .Nas simulações de primeiro turno, sem Lula na corrida presidencial, Bolsonaro (PSL) está à frente dos concorrentes, com 19% seguido de Marina, que oscila entre 14% e 15%. Ciro oscila entre 10% e 11%, Alckmin tem 7%.

Eleições 2018

10 de Jun // | Eleições 2018

69 prefeitos. Este é o número de gestores municipais que apoiam, atualmente, o governador Rui Costa (PT), que tentará a reeleição em outubro. O levantamento foi feito pelo jornal O Estado de S. Paulo e divulgado neste domingo (10). No entanto, o número pode aumentar. O principal motivo para o cenário é a desistência de ACM Neto (DEM).

 

O prefeito ACM Neto não quis concorrer ao Executivo estadual. O PSD, por exemplo, que elegeu 81 prefeitos em 2016, recebeu oito gestores após Neto recuar da disputa. A legenda deve chegar a 100 alcaídes e poderá se consolidar como a maior força partidária dentro do leque de apoio do governador Rui Costa.

 

Na oposição, estão partidos como DEM, PSDB, MDB, PRB, PPS, PTB, PSC, PV, PTC, PHS, Solidariedade e Avante, que reúnem 145 prefeitos, o equivalente a 34,8% do 417 municípios baianos. A Rede, que se apresenta como independente na disputa ao governo e tem a ex-vice-prefeita Célia Sacramento como pré-candidata, administra três municípios no estado, o que corresponde a 0,7% do total de cidades do interior da Bahia.

Eleições 2018

10 de Jun // | Eleições 2018

Os dois nomes cotados para eventual substituição do ex-presidente Lula nas eleições de outubro, o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), não passam de 1% de intenções de votos em pesquisa Datafolha divulgada neste domingo (10) pela Folha de São Paulo.

 

O levantamento é o primeiro realizado após a greve dos caminhoneiros e ouviu 2.824 eleitores entre os dias 6 e 7 de junho. No cenário em que Lula é candidato, o petista aparece liderando com 30%. O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) é o segundo com 17%, seguido por Marina Silva (Rede), que pontua 10%.

 

Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB, tem 6%, empatado com Ciro Gomes (PDT). Álvaro Dias, do Podemos, tem 4%. Quando os cenários são avaliados junto ao eleitorado sem o nome de Lula, Bolsonaro lidera com 19%. Em todos eles, Marina Silva é a segunda colocada, oscilando entre 14% e 15%. Ciro Gomes fica entre 10% e 11% nestes cenários sem Lula. A pesquisa foi feita entre os dias 6 e 7 de junho passados e ouviu 2.824 pessoas.

Eleições 2018

10 de Jun // | Eleições 2018

Pesquisa do Datafolha deste domingo (10)  aponta Lula (PT) na liderança nas intenções de voto, com 30%, caso o ex-presidente consiga se candidatar. Cerca de 21% dos entrevistados consideram não ter ainda candidato. Em segundo, aparece o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) com 17%, em terceiro Marina Silva (Rede) com 10%.

 

Caso Lula siga para o 2º turno, o ex-presidente ganharia com 49%, deixando Bolsonaro com 32%. Brancos e nulos são 17% , e não souberam opinar 1%. Ainda sobre a pesquisa do 1° turno, em quarto aparece Geraldo Alckmin (PSDB) com 6%, em quinto Ciro Gomes (PDT) também com 6%, em sexto Álvaro Dias (Podemos) com 4%.

 

Manoela D’Ávila (PCdoB), Rodrigo Maia (DEM) oscilam entre 1% e 2%, Aldo Rebelo Rodrigo (SDD), Fernando Collor de Mello (PTC), Flávio Rocha (PRB), Guilherme Afif Domingos (PSD), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo), Josué Alencar (PR) e Levy Fidelix (PRTB) oscilam entre 0% e 1%. Paulo Rabello de Castro (PSC) não alcançou 1% em nenhum cenário segundo informações do jornal Folha de São Paulo.

Eleições 2018

10 de Jun // | Eleições 2018

Diversas especulações quanto às coligações nacionais ocorreram nesta semana relacionando o PP e o DEM ao PDT. Uma possível aliança entre os partidos com Ciro Gomes (PDT) foi levantada pela coluna Painel, da Folha. Sobre as especulações, o líder do PP na Câmara, Cacá Leão, reafirmou a aliança com o partido do prefeito ACM Neto, o DEM.

 

"O que temos de concreto mesmo é a parceria do PP com o DEM no apoio ao presidente da Câmara Rodrigo Maia. Nós trabalhamos nessa posição. Todo o resto, toda a discussão, a questão de Ciro Gomes, são especulações de política de momento", afirmou o deputado federal segundo informações do Bahia Notícias.

 

Quanto aos presidenciáveis, além de Rodrigo Maia, Cacá Leão não descartou a possibilidade de apoio a Josué Alencar (PR). "O Brasil precisa de união, não de disputa. Nós precisamos encontrar um candidato, um modelo e até um formato de fazer política que traga expectativa e esperança para o brasileiro. Um candidato que acabe com o discurso de radicalismo de esquerda e direita, que traga tranquilidade para o país", afirmou o parlamentar.

Eleições 2018

09 de Jun // | Eleições 2018

A pré-candidata do PCdoB à presidência da República, Manuela D’Ávila, volta à Bahia, neste sábado (9), para cumprir uma agenda que inclui, Salvador, e os municípios de Vitória da Conquista (sudoeste), Juazeiro (norte), Camaçari (RMS) e Itabuna (sul). Manuela vai apresentar aos baianos o manifesto da pré-campanha, em defesa da liberdade.

 

O primeiro encontro será em Itabuna, logo na manhã deste sábado, a partir das 9h30, no Instituto de Cultura Espírita de Itabuna (ICEI), localizado no Jardim Italamar. Aind no mesmo dia, Manuela estará em Vitória da Conquista, para o lançamento do manifesto na Câmara de Vereadores a partir das 19h.

 

No próximo domingo (10), será a vez de Juazeiro, município que tem um prefeito do PCdoB, Paulo Bonfim segundo BN. Manuela estará na quadra do Colégio Dr. Edson Ribeiro, a partir das 8h30. Na segunda-feira (11), a pré-candidata comunista vai se reunir com trabalhadores do Pólo Industrial de Camaçari, a partir das 5h30, na entrada da Ford, no bairro do Copec. A última atividade da agenda da Bahia será cumprida em Salvador.

Eleições 2018

08 de Jun // | Eleições 2018

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reafirmou, nesta última quinta-feira (7), a pretensão de concorrer à Presidência da República segundo informações do Folha Press. O ex-presidente ratificará essa disposição em uma carta que será lida nesta sexta-feira (8) durante ato de lançamento de sua pré-candidatura, na cidade de Contagem (MG).

 

Preso há 60 dias, Lula dedica parte de seu tempo à redação de suas memórias. Nesta quinta-feira, ele recebeu o governador do Piauí, Wellington Dias, e o ex-ministro Jaques Wagner na cela que ocupa desde 7 de abril. Aos dois, disse que reivindicará o direito de disputar a Presidência da República em outubro após oficialização de sua pré-candidatura.

 

Lula defendeu a escolha de um vice de outro partido para a chapa que pretende encabeçar. O ex-presidente disse ainda que está estudando temas para um programa de governo, especialmente segurança pública. Segundo Wellington Dias, Lula é candidatíssimo. "E é pra valer. Vai cobrar seus direitos de pré-candidato a partir da aprovação e oficialização no evento desta sexta da direção do PT e líderes", disse o governador do Piauí.

Eleições 2018

08 de Jun // | Eleições 2018

O maior bloco de oposição ao governador Rui Costa (PT) vai precisar de muita força para as eleições de 2018 na Bahia. Não apenas para enfrentar a máquina estatal, mas para conseguir fazer “pegar no tranco” a dobradinha entre Geraldo Alckmin (PSDB) e José Ronaldo (DEM). Este texto integra o comentário desta sexta (8) para a RBN Digital.

 

O tucano é candidato ao Palácio do Planalto e, até o momento, não decolou nas sondagens de opinião de voto, mesmo tendo sido exitoso no governo de São Paulo numa avaliação externa. O democrata segue a mesma lógica: deixou a prefeitura de Feira de Santana após uma reeleição acachapante e muito bem avaliado.

 

No entanto, enfrentam algo relativamente inédito em suas últimas eleições: adversários combativos e cujo desempenho está alguns passos à frente. Alckmin, depois de derrotado por Lula em 2006, emendou dois governos no Palácio dos Bandeirantes. Ronaldo, por sua vez, amargou um terceiro lugar na corrida pelo Senado em 2010 antes de ser eleito duas vezes para a prefeitura de Feira de Santana. Para participar do pleito, ambos renunciaram aos cargos.

Eleições 2018

08 de Jun // | Eleições 2018

Embora defenda a existência de um nome feminino à chapa majoritária do governador Rui Costa (PT), a secretária de Mulheres do PT baiano, Brena Pinto, acredita que essa escolha passa por questões diversas. O petista precisa escolher entre a senadora Lídice da Mata e o presidente da AL-BA, Ângelo Coronel, para a segunda candidatura ao Senado.

 

"Eu não estou no grupo de debate da eleição, da composição da chapa", começa Brena. "Eu acho que envolve muitas coisas que dizem respeito ao governo do Estado, a outros partidos e outros diálogos que existem nesse formato de governo de coalizão. Mas acho que é importante garantir o espaço da mulher", avalia a secretária.

 

Ela destaca que reconhece o "olhar diferenciado" na administração de Rui por ter seis mulheres à frente das secretarias – Andréa Mendonça (Seagri), Cibele Oliveira Carvalho (Serin), Arany Santana (Secult), Julieta Palmeira (SPM), Fabya Reis (Sepromi) e Luiza Maia (SDE). Quanto à participação feminina no Legislativo, um dos objetivos do núcleo que Brena coordena é garantir uma maior representação no Congresso Nacional segundo o BN.

Eleições 2018

08 de Jun // | Eleições 2018

O general Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, pretende convidar os candidatos à Presidência para discutir, em particular, os interesses da Força Armada para a segurança do Brasil. As propostas da corporação vão constar de um documento que está sendo elaborado pelo comando do Exército para ser apresentado aos presidenciáveis.

 

A primeira visita teria sido do deputado federal e presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) a Villas Bôas. O encontro ocorreu na terça (5), mas não constava da agenda oficial do comandante até a noite de quarta (6). A reunião veio a público após a divulgação de uma foto publicada no twitter pelo coordenador do plano de governo de Jair Bolsonaro.

 

O coordenador é o deputado Onyx Lorenzoni (DEM). Questionada sobre o motivo de o encontro não estar na agenda, a assessoria do Exército informou que visualizou a visita de Lorenzoni no sistema interno, mas que verificaria por que ela não estava disponível na versão pública na quinta (7). De acordo com o Centro de Comunicação Social da corporação, Villas Bôas tem recebido diversas autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Eleições 2018

07 de Jun // | Eleições 2018

O pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, avalia que o prefeito ACM Neto tomou a decisão correta ao não deixar a gestão municipal de Salvador para disputar o governo do estado nesta eleição. Segundo ele, o desejo de concluir suas atividades na prefeitura pesou para ACM Neto optar por não concorrer na eleição.

 

"Eu entendo a decisão dele de não sair candidato. Ele foi eleito prefeito. Você ficar apenas um ano, renunciar três anos de mandato...você quer entregar as obras, você quer completar o seu trabalho, você fica dividido mesmo, é natural. Acho até que ele tomou a decisão mais correta", declarou Alckmin nesta quinta-feira (7).

 

Geraldo Alckmin recebeu nesta noite de quinta-feira o título de cidadão baiano em cerimônia realizada na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Presidente nacional do PSDB, ele ainda minimizou o fato do partido não apresentar um candidato ao governo do estado na Bahia. "Nós não vamos ter candidato próprio em metade do Brasil", disse Alckmin. Na Bahia, o PSDB optou por apoiar o candidato do DEM, José Ronaldo segundo o BN.

Eleições 2018

07 de Jun // | Eleições 2018

O Partido dos Trabalhadores arrecadou R$ 72 mil em pouco mais de 24 horas em sua plataforma de financiamento coletivo para a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Cerca de 760 pessoas fizeram doações em uma média de R$ 100 por contribuição. Cerca de R$ 44 mil foram levantados somente nas primeiras horas da “vaquinha”.

 

A presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, comemorou o resultado da campanha. “No primeiro dia de arrecadação o saldo já é um sucesso! Obrigada a todos pelo apoio e confiança”, disse Hoffmann. As doações podem ser feitas por pessoas físicas, nos valores de R$ 10,00 até R$ 1.064,00 por dia.

 

Caso o ex-presidente não consiga se candidatar, o partido terá que devolver os valores, individualmente a cada doador. Lula foi condenado em segunda instância em janeiro deste ano e completa, nesta quinta (7), dois meses preso na sede da Polícia Federal em Curitiba. Após a condenação, o ex-presidente pode ter a candidatura barrada com base na Lei da Ficha Limpa, porém, não há legislação que impeça o PT de registrar Lula como candidato.

Eleições 2018

07 de Jun // | Eleições 2018

A passagem da pré-campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) na Bahia não vai contar com a presença do prefeito ACM Neto (DEM). Em nota de esclarecimento, a assessoria do democrata explicou que ele está em viagem fora do Brasil e só retorna ao país na sexta (8). O evento aconteceu nesta quinta (7), na sede da Assembleia Legislativa da Bahia.

 

"Por não ter sido consultado sobre a programação em Salvador do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e já ter um compromisso agendado, o prefeito ficou impossibilitado de participar da solenidade de entrega do título de cidadão baiano ao pré-candidato a presidente da República pelo PSDB", diz a nota.

 

Como informado na nota, Neto será representado pelo vice-prefeito Bruno Reis (DEM). O pré-candidato ao governo do Estado, José Ronaldo (DEM), e o deputado federal João Gualberto (PSDB) também estarão presentes. Inclusive, o acordo de união entre os dois partidos na Bahia teve como condição a garantia de palanques tanto para Alckmin, quanto para o deputado Rodrigo Maia, até então pré-candidato do Democratas à Presidência da República.

Eleições 2018

07 de Jun // | Eleições 2018

O governador Rui Costa (PT) anunciou que deve apresentar nos próximos dias a chapa da candidatura dele à reeleição. Além do próprio petista, já estão confirmados publicamente os nomes do vice-governador, João Leão (PP), e do ex-governador Jaques Wagner, que deve ser candidato ao Senado segundo informações do RBN Digital.

 

A última vaga, como há muito se especula, deve ficar com o deputado Angelo Coronel (PSD), deixando de fora a senadora Lídice da Mata (PSB), que almejava a reeleição. Como todos os envolvidos gostam de frisar, o processo de escolha da chapa ficou restrito ao governador – cujo perfil centralizador não é novidade.

 

O problema é que, na condução, Rui Costa errou a mão ao cozinhar demais o projeto de Lídice. Ao ser questionado pela imprensa, utilizava a estratégia de tangenciar, preferindo falar sobre amenidades, a exemplo das inaugurações de projetos de saúde e educação. Por mais que esses assuntos incomodem, o papel de agente político exigiria que ele tivesse posicionamentos mais claros. Não foi o que aconteceu. O governador deve ser o mestre a reger a orquestra política.

Eleições 2018

06 de Jun // | Eleições 2018

Pré-candidato a deputado federal e ex-chefe de gabinete do prefeito ACM Neto, João Roma aponta que o PRB não vai fazer um grande esforço para tentar garantir um espaço na chapa majoritária liderada por José Ronaldo (DEM). Ele declarou que até mesmo o presidente nacional da legenda, Marcos Pereira, não trata a questão como prioridade.

 

"Ele colocou que o PRB dispunha de quadros que podem participar da majoritária, que podem estar à disposição da majoritária, mas também não criará nenhuma dificuldade caso surjam nomes que possam agregar mais", relatou o pré-candidato João Roma em entrevista ao Bahia Notícias nesta última terça-feira (5).

 

Segundo ele, a promessa de Marcos Pereira aconteceu em uma reunião realizada há cerca de um mês com participação inclusive do prefeito ACM Neto. "Ele colocou que a participação do PRB na majoritária não era necessária para a união dos partidos", completou Roma. "A presença do PRB na chapa é legítima, mas não é condição para nossa coligação. A prioridade do PRB é eleger deputados federais: João Roma, Tia Eron e Márcio Marinho", disse.

Eleições 2018

06 de Jun // | Eleições 2018

Procurado por partidos de oposição maiores para coligação, o PSDC bateu o martelo sobre a sua candidatura própria ao governo do estado e agora começa a organizar os nomes da majoritária. O presidente baiano da legenda, Albino Leal, confirmou que o partido se unirá ao PTC, PMB, PMN e Rede na Bahia.

 

Ele disse que decide, na quinta (7), o time que irá disputar as eleições. “Sairemos com Marcos Maurício para governador e Marcelo Barreto (PSDC) para senador”. Os nomes que ocuparão as vagas de vice-governador e a segunda vaga de senador na chapa majoritária serão decididos após a reunião desta semana.

 

“Houve uma cogitação lá atrás [para coligação com os partidos maiores], mas agora nossa candidatura está ganhando musculatura”, comentou o dirigente estadual. Marcos Maurício, candidato da sigla ao Palácio de Ondina, comemorou, recentemente, a marca de 0,9% atingida em uma pesquisa no Instituto Paraná Pesquisas. “Nós estamos prezando por essa candidatura ficha limpa até o fim.

Eleições 2018

05 de Jun // Gildásio Cavalcante | Eleições 2018

A pesquisa do instituto DataPoder360 revelou nesta terça (5), que Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança isolada na corrida pela Presidência da República. Nos três cenários testados, o deputado federal pontua de 21% a 25%, conforme a combinação de nomes apresentados, sem a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Ciro Gomes (PDT) se consolidou em segundo, com média de 12%. Pela primeira vez neste ano de 2018 o nome do ex-prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) foi testado como candidato a presidente (no momento, ele é pré-candidato ao governo paulista) e teve apenas 6% segundo o levantamento DataPoder360.

 

Isso o coloca em situação de empate técnico com o nome oficial da pré-candidatura tucana ao Planalto, Geraldo Alckmin, que pontua 6% ou 7%, a depender do cenário. O levantamento DataPoder360 é o maior já realizado pela divisão de pesquisas do portal Poder360. Desta vez, foram 10.500 entrevistas por meio de telefones fixos e celulares. Foram atingidas cerca de 349 cidades em todas as regiões do país, entre os dias 25 a 31 de maio.

Eleições 2018

05 de Jun // | Eleições 2018

A deputada estadual Manuela d'Ávila (PCdoB-RS) admitiu abrir mão de sua pré-candidatura à Presidência da República por uma união de partidos de esquerda já no primeiro turno das eleições presidenciais. Ela condiciona o posicionamento, no entanto, a um gesto do PT, que mantém a pré-candidatura do ex-presidente Lula.

 

Ainda tem o PDT, que lançou o ex-ministro Ciro Gomes na corrida, e do PSOL, cujo pré-candidato é Guilherme Boulos. Para Manuela, o PCdoB não é um obstáculo à união das esquerdas, mas o partido não abriria mão de seu nome se as outras legendas do campo não fizessem o mesmo em torno de um único projeto.

 

"Nós já fizemos o gesto. Se eu não for candidata, os outros três se entendem para nós estarmos unidos? A unidade da esquerda representa isto: nós estaremos todos unidos em uma única candidatura? Os outros três têm essa disposição? Eu não sou óbice", disse a deputada gaúcha. Na semana passada, o líder do PCdoB na Câmara, deputado Orlando Silva (PCdoB), defendeu que os partidos de esquerda se juntem em torno de um único nome.





Classificados


Enquete



Mais Lidas