Notícias

Dallagnol critica decisão da corte: 'Um escudo contra decisões do STF, dado pelo próprio STF'

Ao tomar conhecimento da decisão do STF que deixou a cargo do Legislativo a palavra final quanto a medidas cautelares impostas a parlamentares, o procurador Deltan Dallagnol decidiu se pronunciar. Sempre ativo nas redes sociais, o coordenador da Lava Jato no Ministério Público Federal criticou o posicionamento da corte suprema.

 

"Não surpreende que anos depois da Lava Jato os parlamentares continuem praticando crimes: estão sob suprema proteção. Parlamentares têm foto privilegiado, imunidades contra prisão e agora uma nova proteção: um escudo contra decisões do STF, dado pelo próprio STF", comentou no Facebook, ainda na noite de quarta (11).

 

No texto, Dallagnol não deixou de reconhecer os ministros Fachin e Roberto Barroso, que junto dos ministros Fux e Celso de Mello e da ministra Rosa Weber foram voto vencido no plenário. Já Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Lewandowski, Gilmar Mnedes e Marco Aurélio Mello contaram com o voto de minerva da presidente Cármen Lúcia, garantindo que o Congresso terá que dar aval às determinações da Corte contra deputados federais e senadores.

 

A decisão atinge diretamente o caso do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que foi afastado do mandato pela segunda vez no final de setembro (lembre aqui).


Categorias

Justiça




Classificados


Enquete



Mais Lidas