Notícias

Ambulante morta pelo ex-cunhado em Salvador, é enterrada em Feira

Foi enterrado no final da tarde desta sexta-feira (13), em Feira de Santana, cidade a cerca de 100km de Salvador, o corpo da trabalhadora ambulante Jacineide Alves Lima, morta a golpes de faca pelo ex-cunhado, na manhã de quinta-freira (12), em Salvador. A cerimônia foi realizada no Cemitério Jardim Celestial.

 

O crime aconteceu dentro da Estação Mussurunga depois que o local foi invadido pelo agressor, que tinha como intenção atacar a ex-companheira, que trabalha no mesmo local, também como ambulante. Ela conseguiu fugir e não saiu ferida. Nelson Messias dos Santos, de 48 anos, se matou após o crime, dentro do terminal.

 

Enquanto ainda era contido, ele feriu também o ambulante Euclides Oliveira e o segurança José Geraldo Nunes Leite, que tentaram impedir o ataque. O ambulante foi atingido no pescoço e segurança no braço. Eles foram levados para o HGE. Conforme familiares de Euclides, ele precisou passar por cirurgia e tem estado de saúde estável. Já José Geraldo recebeu alta na manhã desta sexta-feira (13), segundo informações de amigos.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), Nelson tinha sido preso há um mês por agressão contra a ex-companheira e ficou custodiado por quatro dias. Informações da polícia apontam que no ataque de quinta-feira, o objetivo dele era matar a ex-mulher que também é vendedora ambulante na estação, mas a irmã dela inteferiu e foi morta.

 

Apesar de Nelson ter sido liberado da prisão, a ex-mulher tinha medida protetiva contra ele. Um vídeo feito por celular registrou o momento em que pessoas tentavam controlar Nelson. Nas imagens, é possível ver a correria e gritos de socorro no terminal. É possível também observar, no vídeo, que outras pessoas que estavam na estação, além dos seguranças, tentaram controlar o agressor.


Uma amiga da vendedora ambulante que foi morta lembrou os momentos de horror durante o ataque. "A moça falou que ela [Jacineide] estava despachando bolo, e ele veio por trás. Eu peguei na mão dela e falei: 'Jaci, reaja que você tem um filho. Ela tem um filho de 10 anos'", revelou Ivonete Moreira. Ainda segundo a amiga da vítima, após o ataque, a irmã de Jacineide ficou desesperada. "A irmã dela ficou dizendo: 'A culpa é minha, a culpa é minha'", acrescentou.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas