Notícias

'Falei que tava com fome', diz garoto barrado por segurança em shopping de Salvador

Eu pedi: Boa tarde, tio! Pra comprar um chiclete. Aí, o tio não quis comprar, daí ele pagou um prato de comida pra mim, entendeu? Eu falei que tava com fome. Mas aí depois o segurança chegou com meu colega. Aí o segurança falou que não podia pagar, que não podia, que era o trabalho dele". Esse foi o relato da criança de apenas 12 anos.

 

Ele foi impedido pelo segurança de um shopping de almoçar uma refeição paga pelo cliente do centro de compras. Um vídeo feito pelo cliente, o comerciante Kaique Sofredine, viralizou nas redes sociais. O rapaz não quis dar entrevistas, mas, na internet, agradeceu a mensagens de apoio que tem recebido após a divulgação do vídeo.

 

Nas imagens, ele aparece, de forma firme, defendendo o direito de pagar o almoço para a criança. O menino estava na companhia de outras crianças no shopping quando pediu que um cliente do estabelecimento comprasse um dos chicletes que ele vende. O cunhado dele, de 14 anos, também presenciou o ocorrido e disse que o segurança afirmou que o garoto não iria comer. O garoto é morador da periferia da capital baiana segundo o G1.

 

Segundo a família, ele estuda, além de vender balas e chicletes na frente do Shopping da Bahia. O caso é acompanhando pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), que abriu inquérito civil para apurar a ação do segurança e verificar a responsabilidade do Shopping da Bahia em possível prática de racismo institucional contra a criança negra.

 

A Defensoria Pública do Estado (DPE) repudiou a ação e ofereceu apoio jurídico à família do menino. Em nota, em nota, o Shopping da Bahia pediu desculpa pelo ocorrido e informou que afastou o segurança envolvido na situação das atividades de atendimento ao público.


Categorias

Salvador




Classificados


Enquete



Mais Lidas